Sobre textos extravagantes.

Eduardo estava atrasado. Seu despertador, que deveria ter tocado as 6:30h, fora desregulado por uma queda de luz durante a noite. Acordou assustado as 7:15h. Levantou-se com pressa, trocou de roupa sem sequer tomar banho, pegou a mochila e saiu com uma fatia de pão na boca. Correu até a parada e alcançou seu ônibus a tempo. No trajeto até sua aula, choveu. Uma chuva de verão, pesada, forte, mas passageira.

Já em sua aula tudo transcorreu como deveria. Havia uma prova a ser feita e o professor certamente não toleraria atrasos. Voltou cedo para casa, jantou sozinho no fim do dia e dormiu, pronto para recomeçar sua jornada.

Mas, e se… Ele perdesse o ônibus?

Eduardo estava atrasado. Seu despertador, que deveria ter tocado as 6:30h, fora desregulado por uma queda de luz durante a noite. Acordou assustado as 7:17h. Levantou-se com pressa, trocou de roupa sem sequer tomar banho, pegou a mochila e saiu com uma fatia de pão na boca. Ao abrir a porta de casa pôde ver seu ônibus passando. Foi até a parada, talvez pegando o próximo ainda chegasse a tempo de realizar sua prova.

Enquanto esperava, uma garota chegou esbaforida na parada. Perguntou se o ônibus já havia passado, Eduardo confirmou. A garota se chamava Nathália e perguntou se ele a acompanharia a pé até a próxima parada. Era longe. Parando para pensar eles nada ganhariam com isso, mas entre ficar esperando parado ou andando; a segunda opção parecia menos tediosa. Ao andarem uma quadra em silêncio começou a chover. Não um chuvisco, mas uma tempestade torrencial. Os dois começaram a rir e a correr. Não havia onde se esconder. Chegando na parada, completamente molhados, ambos riam. Entraram no ônibus que logo chegou, sentaram juntos, e em uma troca de olhares e sorrisos surgiu aquele sentimento de união, celebrado com um beijo.

Eduardo seguiu para sua sala, mas o professor se recusou a deixá-lo entrar. Ainda mais molhado!

Voltou para a parada entre triste e eufórico. Nathália estava lá. Também perdera a prova. Passaram a tarde juntos, jantaram juntos, dormiram juntos.

Mas, e se… e somente SE, o universo não girasse em torno de Eduardo?

Eduardo estava atrasado. Seu despertador, que deveria ter tocado as 6:30h, fora desregulado por uma queda de luz durante a noite. Acordou assustado as 7:15h. Levantou-se com pressa, trocou de roupa sem sequer tomar banho, pegou a mochila e saiu com uma fatia de pão na boca. Correu até a parada e alcançou seu ônibus a tempo.

Após entrar viu que outra garota, atrasada como ele, subia ao veículo. Ela sorriu para ele e sentou-se longe. No trajeto até sua aula, choveu. Uma chuva de verão, pesada, forte, mas passageira. Já em sua aula tudo transcorreu como devia. Havia uma prova para ser feita e o professor não toleraria atrasos. Voltou cedo para casa, jantou sozinho ao fim do dia e sonhou com ela.

Mas, e se… Eduardo fosse sequestrado enquanto dormia?

Eduardo acordou assustado. Não sabia onde estava. Estava amarrado em uma cadeira em uma sala escura, apenas isso. Sua boca estava amordaçada. Tentou gritar, caiu no chão. Uma porta se abriu e um homem encapuzado avisou que o resgate havia sido pago. Eduardo vai ao terapeuta até hoje.

Mas, e se… Deus estivesse de mau-humor?

Eduardo não acordou.

Mas, e se… Nathália fosse um javali selvagem?

Eduardo estava atrasado. Seu despertador, que deveria ter tocado as 6:30h, fora desregulado por uma queda de luz durante a noite. Acordou assustado as 7:17h. Levantou-se com pressa, trocou de roupa sem sequer tomar banho, pegou a mochila e saiu com uma fatia de pão na boca. Ao abrir a porta de casa pôde ver seu ônibus passando. Foi até a parada, talvez pegando o próximo ainda chegasse a tempo de realizar sua prova. Quando, subitamente, um javali selvagem corre por cima dele, derrubando-o! Eduardo quebra a bacia e passa semanas no hospital.

Mas, e se… Eles vivessem na Idade Média?

Eduardo acordou cedo e foi trabalhar. Ele sonha com a princesa Nathália, mas nunca a terá. Eduardo é infeliz.

Mas, e se… O mundo fosse a internet?

Dark_Knight_Lord se logou. Seu paladino lvl60 jamais impressionará Nathy_Catty no facebook.

Mas, e se… Eduardo não existisse?

Mas, e se… O mundo fosse acabar?

Eduardo estava atrasado. Seu despertador, que deveria ter tocado as 6:30h, fora desregulado por uma queda de luz durante a noite. Acordou assustado as 7:17h. Levantou-se com pressa, trocou de roupa sem sequer tomar banho, pegou a mochila e saiu com uma fatia de pão na boca. Ao abrir a porta de casa pôde ver seu ônibus passando. Foi até a parada, talvez pegando o próximo ainda chegasse a tempo de realizar sua prova. Enquanto esperava, uma garota chegou esbaforida na parada. Eduardo olhou acima dela e viu uma luz que cegava e queimava a pele. Era um meteoro: O fim da era dos dinossauros.



Anúncios

6 Respostas to “Sobre textos extravagantes.”

  1. Vitória Says:

    Divertido. :3

  2. Débora Says:

    Eu teria um Dark Knight. Muitas citações desse conto hoje, huh. 😛

  3. Yuki Says:

    Ótimo texto, adorei! *-*
    ri da parte da internet hUAHSUHEUHAU q

  4. Azul84 Says:

    Admito que ri.

  5. Gabriel Says:

    Admito que ri. [2]

    Além disso, level 60 não impressiona ninguém. Level 80 talvez impressionasse.

  6. Diego Tavares Says:

    Excelente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: