Sobre Lutas Seculares

De um lado o cais deserto; do outro um navio lotado de piratas sedentos por uma boa briga. A cidade havia sido evacuada. Somente aqueles dois grupos distintos permaneciam para colocar um fim a pergunta: Quem vence uma luta entre ninjas e piratas?

Subitamente, do cais deserto começaram a surgir sombras ultravelozes. Guerreiros vestidos de preto dos pés a cabeça, mestres na arte da camuflagem e infiltração. Todos armados com suas lâminas, correntes, bombas e toda sorte de cordas. Aquele era o confronto final.

No navio esperavam seus desafiantes portando sabres, revolveres e bem abastecidos de rum. Nem todos tinham duas pernas ou dois olhos, mas a sede de sangue era a mesma. Diferente dos ninjas, os piratas não seguiam um código de honra e sequer tinham um plano de luta.

Se o despreparo tático parecia um problema, logo se provou o contrário. Cada pirata correu para um lado, atrás do seu alvo, sem prestar muita atenção nos seus companheiros. A cada ninja morto a estratégia se fragilizava mais. Eles esperavam que os piratas se dispersassem, mas não contavam com mortes tão rápidas.

Acontece que a luta se dava no navio, “arena” dos piratas. Eles conheciam cada tábua daquele chão. Sabiam dos perigos de cair no mar e como derrubar alguém no mar. Talvez se a luta se desse durante a noite os ninjas levassem a melhor. A situação influenciava muito no resultado.

Em determinado momento – provavelmente devido a embriaguez – um pirata começou a gritar. Se perguntava o motivo daquela briga. E ele tinha razão, não havia real motivo para brigar. Eles apenas estavam jogando vidas fora enquanto sanavam uma dúvida idiota. Felizmente uma espada logo atravessou o tórax desde filósofo e nenhum companheiro de mar lamentou a morte do maricas.

A luta seguiu seu rumo por horas, até o sol começar a se pôr. Haviam ainda algumas dezenas brigando, quando algo chamou a atenção de todos. Era um som seco, ritmado, rápido, vindo do oeste. O sol poente alaranjava o céu permitindo identificar apenas a sombra dos quatro viajantes. Seus chapéus, lenços e roupas não permitiam que muito fosse identificado.

Ninjas e piratas correram para acabar logo com a interrupção. Não seriam quatro viajantes que impediriam a dúvida de ser sanada. Porém, quando o exército se aproximava, os quatro se mostraram prontos para o combate com revólveres e carabinas. Seus cavalos calmamente desviavam dos corpos já sem vida pelo chão.

Não restam dúvidas: Cowboys sempre serão melhores que ninjas e piratas.

Anúncios

Uma resposta to “Sobre Lutas Seculares”

  1. Mikaellis Says:

    Em nome do “Para piratas e poetas”, discordo completamente da sua insinuação. Piratas, de um jeito ou de outro, sempre levam a melhor.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: