Sobre Paisagens

A grama verde se estendia esburaca e enlameada por um longo trecho. Três grandes árvores surgiam no gramado, tão próximas que pareciam apenas uma. Ao seu lado os dois prédios lembravam que aquele ainda era um cenário urbano. As calçadas ainda estavam molhadas da chuva recente. Os bancos que deveriam estar por lá também estavam na grama, molhados.

O céu ainda estava completamente cinza e com aspecto de chuva futura, mas não imediata. O vento forte agitava as folhas, bagunçava cabelos, assustava e apressava as pessoas. Menos uma pequena figura.

Sentado em uma longa arquibancada de concreto, completamente molhada, isolado do mundo, estava um garoto. Vestia roupas um tanto quanto elegantes demais para a situação em que se encontrava. Uma das mãos servia de apoio, sem se importar com a umidade do local, a outra segurava uma garrafa de vinho tinto barato que constantemente subia até a boca. Dentre os inúmeros pensamentos que se passavam na sua mente, o mais marcante ainda era a vontade, o desejo profundo de eternizar aquela paisagem, aquele momento, de alguma maneira. Qualquer maneira.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: